9 de maio de 2009

Isto é que eram carros janotas

O Bru escreveu uma vez (aliás, duas pelo menos) no seu blog que, com os anos, os nosso gostos vão ficando mais sofisticados. Eu não sei se "sofisticados" é o termo mais correcto, mas que os nosso gostos se vão depurando, ou limando com os anos, na mesma proporção que a nossa personalidade se vai solidificando, definindo aquilo que é o "eu" incorruptível e inimitável, lá isso é verdade. E obviamente, os nosso gostos evidenciam traços muito particulares do nosso "eu".

E esta ladainha toda porquê? Porque descobri qual o carro dos meus sonhos, ou seja, o que eu gostaria de ter e de desfrutar na vida. Não é um Q7, como diz a isa num post recente, nem um Lamborghini mas sim um destes...


Mini Clubman (1971)
Restaurado, com cromados polidos, umas jantes 5 estrelas fica uma peça verdadeiramente de coleccionador. E o seu conceito (micro-carro) encaixa na perfeição nos tempos modernos. A cor também gostava que fosse exótica - podia ser este amarelo torrado, um creme ou azul bebé metalizado, bem distintivo e glamouroso.

Mini Minor (1973)
E ainda dizem que o Smart é pequeno! Não conhecia esta versão que deve ser uma raridade. Parece de brincar... É um Mini de 2 lugares. Que show!

Fiat 500 (não o novo, mas a primeira versão)
O meu pai teve um, ainda antes de me ter feito. No album de família ainda resistem testemunhos que o ilustram. E era branquinho, como este. Eu curtia ter um, nem precisava ser branco. Gostava que tivesse uma cor vintage, um verde, um pastel, um azul, um dourado,... muito cinematográfico.







2CV
Este carro é fabuloso. Para além de povoar o meu imaginário por ter sido a "mascote" da minha série de sempre, Duarte & Cª, é um automóvel com uma irreverência e classe intemporais. Já vi versões de todas as cores e feitios. Fica sempre superior. Provavelmente este é o carro que eu mais gostava de ter (e descapotável, claro).


Eu adoro clássicos. Numa era em que a tecnologia e o digital dominam, a informação e as "coisas" chegam-nos às toneladas, cada uma mais bonita, sofisticada e versátil que a anterior, nem tempo temos para apreciá-las. Acho que é isso que me faz gostar cada vez mais de coisas de outras épocas. E eu que trabalho no meio dos automóveis mais exóticos, dou por mim a babar (com ternura) quando vejo um exemplar antigo. Enfim, sou uma saudosista e esse traço vem à tona neste gosto que tenho por clássicos. Gostava de comprar um e mandar restaurá-lo e tê-lo como carro de passeio. Mas a vida não está para luxos desses... Um dia...

3 comentários:

Isandes disse...

o meu favorito é o mini azul 2 lugares! ó flãvia, mas akilo pá autoestrada... *

Zaramateka disse...

Adoro minis, mas eu pintava o meu de castanho e tejadilho casca de ovo!

Flávia disse...

Auto-estrada com relíquias destas seriam um atentado, Isa (mas até isso tinha remédio, trocava-se o velhinho motor por outro mais actual, se calhar o de um smart! lol) Pode fazer de tudo hoje em dia.

Mas carros destes, como digo, seria para desfrutar deles, não tanto para puxar por eles. Un dolce fare niente... Luxos!

Sara, essa combinação de cores ficaria um must! Lá está, interessa é ter imaginação e bom gosto. a exclusividade está aí.