5 de fevereiro de 2009

O pastor alemão do cabrão do meu vizinho (sim, outra vez)

Desta vez perdi algum tempo e fiz um pequeno vídeo que editei num abrir e fechar de olhos (tão depressa que até me enganei na data e pus 5 de Janeiro, em vez de 5 de Fevereiro, hoje).

É para dar uma ideia do sofrimento dele: a falta de comida, a solidão, o cárcere permanente e, pior, o ninho totalmente enlameado e molhado, sem qualquer protecção do frio e da chuva. Quando a chuva cai forte e na diagonal é como se não tivesse tecto... Chega a provocar ferimentos nele próprio ao tentar destruir a porta ou a tentar atravessar as grandes.



E isto tem sido sempre assim desde o início do Inverno. Não dorme, não tem sossego, nenhuma espécie de conforto. E eu não consigo me conformar com esta situação.

5 comentários:

je disse...

Oh Fla... e falar com alguem da sociedade protectora dos animais? Ou alguem da policia?Realmente o animal e ele... coitadinho do cao... da pena...

Flávia disse...

Olá Je! A polícia com certeza mandar-me-ia dar uma volta. Já pensei falar com a protecção dos animais, mas a verdade é que dono n é lá mt boa pessoa. para além de negligenciar o bicho, nunca o vi com um gesto de carinho, pelo contrário, é sp agressivo com ele. a minha mãe conhece a familia dele, contou-me inclusive q o avô envenenava os cães que tinha, por isso este tipo n deve ter grande apreço pelos animais mercê a educação que deve ter tido. a verdade é que eu temo q retaliando o gajo se vingue no cão...

se pelo menos a chuva e o frio parassem já lhe poupava mt sofrimento... é uma situação ingrata.

PontoGi disse...

Estupido!

Jorge Rita disse...

O espaço para um pastor alemão do porte desse não pode de facto ser esse galinheiro...
Gosto mt de caes. Tinha 3 rafeiros(puro curisco nacional, vulgo cão de alarme, como gosto de os definir). So já cá esta o Oscar. O Mário e o Nicolau fizeram a vida a soltos. Passavam longas temporadas de namoro e deixaram por ai muita descendencia. Nunca os tive presos e tenho a certeza que me agradecem por isso.

Bruno Marques disse...

A Liga Protectora dos Animais certamente que se interessaria pelo caso. Pelo menos a responsável aqui de Famalicão sei de certeza que se interessava.
Sempre podes alegar ao dono do cão que ele vos incomoda toda a noite com o barulho e que foi por isso que vocês falaram com alguém sobre o assunto. Ou então, sob esse pretexto do barulho, tentar falar com ele. Realmente mete dó ver o bicho nesse estado...