3 de fevereiro de 2009

Hoje foi um dia bom...

...foi o dia que gostava de ter mais vezes.

De manhã, aproveitei que o sol deu um ar da sua graça, enchi-me de coragem e invadi a propriedade do novo vizinho, mais o seu casarão em forma de "L", para matar a fome e a sede ao fabuloso pastro alemão que mantém encarcerado numa jaula, sujeito ao frio, à neve, à chuva e, pior ainda, à fome e à sede. É a pura verdade e eu não aguentava mais ser cúmplice disto ao reagir com a minha inércia.

Estava disposta a entrar-lhe pela porta da frente e a responder-lhe, caso estivesse alguém em casa e ele me interpelasse "mas quem raio é você e o que faz na minha casa? Ponha-se nas putas": (eu)"sabe, penso para com os meus botões: 'quem será mais cão: você ou o que mantém enjaulado naquelas condições?' vim fazer aquilo que você não faz há dias e já não é a primeira vez - vou dar de comer e de beber ao seu cão. Há dias que ele chora neste estado". Mas uma vez que o gajo completou o muro e colocou portões à frente, não tive outra alterantiva senão me armar em Indiana Jone e ir por trás...

Sujeite-me a avançar muros, a rasgar a roupa, a usar o escadote que levei de casa, mais um saco de 2kg de biscoites para cão e 1,5litros de água até chegar ao beco onde o bicho é mantido. Felizmente não me constou que alguém estivesse em casa. As pias dele estavam secas e com pó, sinal que pelo menos há dois dias não comia nem bebia (eu sei disso porque ontem mantive-me atenta). A primeira coisa de que saquei foi da garrafa de água. Que bicho lindo, enorme, uns olhos ternos. Não me ladrou, mas vi-lhe o desespero, a felicidade quando olhou a garrafa de água... Deitei-lhe na pia e enquanto a água caia ele ia bebedo directo do gargalo. Litro e meio sumiu-se em menos de dois minutos. Não o imaginava tão mal. Mas as marcas das garras dele fora da jaula a esgravatar a terra eram um sinal... Lamentei-me de não ter levado mais.
Depois rasguei-lhe o pacote de comida seca e deixei-a entre as grades, que ele puxou para dentro, e vim-me embora antes que alguém me apanhasse por ali...

O bicho não voltou a queixar-se durante o resto do dia. E eu a pensar que sempre que ele o fazia era por frio. Estava longe de imaginar que também o sujeitavam a tamanha privação.
Fiz questão de deixar o pacote de comida lá na jaula dele para ver se os paravlhões dos donos percebem a mensagem e se enchem de vergonha. Este bicho tem passado o inverno todo nesta agonia... já não falo no estado dele - magro e enlamaçado - terá vivido dias de verdadeira tortura, especialmente na semana passada, com todo aquele frio, chuva e ventania, já que nada o protege (não tem paredes, só grades...)


Feita a boa acção da amnhã, de tarde fui com a Lu dar um passeio a pé até ao rio perto das nossas casas, pôr a conversa em dia, aproveitar o resto de sol e ainda lanchar à beira da água: as sandes mistas que ela levou regadas com leitinho quente que eu levei numa garrafa térmica... Ainda saquei algumas fotos:



Desencaminhada por mim, a Lu acedeu acompanhar-me, no final de tarde, a Braga para procurar na H&M uma parka tamanho 34 para ela (já que a mãe ficara-lhe com a 36 que entretanto tinha trazido num outro dia). Não vimos nada de novo, é certo, mas fomos jantar a um restaurante vegetariano. Não sei se era do frio que fazia lá fora mas o cházinho e o arrozinho integral bem quentinhos, mais a tarte de legumes e tudo à volta muito bem cozinhado e condimentado soube pela vida (quem é que precisa de carne ou peixe? :D).

E perguntam vocês "E trabalhar, nada?" Trabalhou-se, sim, e ainda se trabalha. Se formos organizados há dias que dão para tudo (dias excepcionais, é certo...)

20 comentários:

Jorge Rita disse...

Isso é que é vidaço SrªDirectora!!!!
Boa acção de escuteira; afiar a lingua; um lnachezinho; compras e um jantar dietetico! Uma mulher quer lá melhor???!!!!
Ehehehhehehehe

Flávia disse...

lol vamo lá bere..

Temo que a minha missão de escutismo esteja apenas no início em relação a este caso...; a língua não foi afiada, foi amolecida com uma amiga que sabe ouvir, sabe falar, que é inteligente e a única pessoa até ver com quem consigo falar de tudo e sobre tudo, desde política a esoterismo, passandopor dramas pessoais e galhofice da mais pesada; não fizemos compras rigorosamente nenhumas - passeamos! (há q poupar..) e o jantar não soube a dietinha nenhuma :D tava memso bom.

acho q qq ser humano independente do sexo teria gostado (os pescadores que por lá andavam a rondar-nos no rio queriam fazer-se ao nosso lanche). ah! ainda presenciamos em Braga um grupo de adolescentes argelinos ou simplesmente ciganos a fazer 30 por uma linha, como apalpar uma senhora que estava ao tlm enquanto esta levantava dinheiro no multibanco. O mais bizarro é que ela n deu por nada!!

Jorge Rita disse...

Gosto das tuas respostas pronta.Sim senhor.

Flávia disse...

são típicas de quem não faz mais nada na vida :D

Isandes disse...

mt bem, mas attention michél, qq dia pode correr mal... depois conta s gajo se mancou e se começou a dar d comer ao bicho...
foste comer ao anjo verde? e o crocante de maçã? hummmm.... xuac

Bruno Marques disse...

Um belo dia, sim senhor. Só não percebo por que é que esse teu vizinho tem um cão. Se não quer cuidar dele, pelo menos que deixe alguém fazê-lo...

Flávia disse...

Bru, disseste tudo! Pergunto-me isso.

Isa
a única coisa que podia correr mal era eu malhar de um muro abaixo ou espetar um dos ferros salientes do betão em alguma zona do corpo ou mesmo o gajo apanhar-me de caçadeira na mão e mandar-me um balazio.

De resto, não tenho medo de nenhum processo por invasão de propriedade até porque as minhas razões são legítimas...

Entretanto hoje continuei a ver as pias do cão vazias, mas julgo que terão lhe dado algo de comer e de beber de manhã cedo (ponho fé nisso!) e o bicho entretanto, com a penúria, já enfardou tudo. pelo menos as latas velhas e vazias de comida que estavam ao lado da jaula mudaram de posição e apareceram direitas. de certeza que pelo menos lá foi alguém mexer, que não eu! O cão também não se queixou durante o dia.

agora estou a pensar montar um esquema de tubos desde a minha casa até à jaula dele pra lhe dar de comer e beber de urgência sem ter que passar pelo que passei ontem (tive sorte em n ser apanhada).

Eu não queria muito confrontar o dono pois temo pelo cão. é que este gajo tem um historial na familia mt negro em relação a cães. já o avô dele envenenava os bichos por bel-prazer. ora o que se pode esperar de um neto que cresceu a ver o avô a envenenar cães? coisa boa é que não...

PontoGi disse...

Fiquei com pena do bicho e nao esperava outra coisa de ti!
Que saudades do anjo verde!saudades dos nosso almocos tb!
beijo

Flávia disse...

ah esqueci de dizer onde comi: no Gosto Superior.

Ei Gi os nosso almoços eram show, tb sinto falta. o último foi mt fixe!
beijão!

Isandes disse...

e 1 catapulta? sempre é 1 método menos invasivo, lol
onde é o Gosto Superior em braga? vegetariano, só conheço o anjo k ADOROOOOO

Flávia disse...

isa, estou mesmo a pensar é avançar sobre a casa com um tanque de guerra :D

sim, em Braga. É muito acolhedor, o cházinho maravilha, a comida excelente de tempero e quentinha, sem sabor requentado.. so tenho a dizer bem.

fica num largo por onde se acede pela rua traseira ao BragaShopping... infelizmente n me lemmbro nem o nome da rua nem do largo... :S

Flávia disse...

o largo chama-se Praça Mouzinho de Albuquerque (lol) a Lu perguntou ao Google maps...

Jorge Rita disse...

è ao pé do dispensario onde se tiram as micrós pa entregar qundo es caloiro na universidade....
HÁ ALI UM CARNIVORO TB MUITO JEITOSO.

Flávia disse...

é isso mesmo Jorge ! :D

e o carnivoro chama-se como?

Jorge Rita disse...

Nao me recordo! (r'ais parta! andamos aqui á mesma hora!)
eheheheh...

Flávia disse...

para não variar... (eu ando por aqui sp até 3h e às vezes 4h da manhã)

Jorge Rita disse...

Já sei! é o Abade de Prisco!(nao sei se é dai que vem o nome do pudim nem sei se tem alguma coisa a ver) Agora fikei com apetite. Vou munkir ali um _Merci que ainda resta do Natal!

Flávia disse...

Lol vai lá a esta hora deve saber pela vida!. O pudim tem esse nome, mas da terra, Priscos, que fica tb perto de Braga. Com certeza os donos do restaurante aproveitaram foi pra dar à casa nome de pudim, que já é antigo :D e ficou engraçado. hei-de ir lá "cheirar" qq dia.

Jorge Rita disse...

Recomendo, embora nao seja propriamente em conta, a comida é boa e o restaurante agradavel e simpatico.
Olha alguma coisa apita! tinha aqui dois Merci. Reparti irmamente: um pra mim e outro que comi por ti!
Ehehehheheheh

Flávia disse...

:D espero que o meu te tenha sabido melhor que o teu por consideração a mim!