23 de novembro de 2008

Fui seguida por um tarado sexual (não se riam, é verídico. Ok, riam-se que eu também me ri lol)

Como hei-de contar isto... Eu não sei se já alguém por aqui teve o azar de passar pelo mesmo...

Bem, tirei a manhã dest domingo para fotografar a zona velha de Braga em torno da Sé, as ruelas, os prédios antigos, as igrejas,... não podia desperdiçar esta luz maravilhosa e quente e aproveitar os jogos luz-sombra deslumbrantes. Não era só a altura ideal do dia por causa da luz, mas também porque a um domingo de manhã, em Braga, só se vê na rua velhotes e turistas. Eu, com o meu "tamanco" ao pescoço, passei por ser uma forasteira, claro...

Quando fotografo concentro-me na foto e perco noção do resto à volta. Dedico-me ao detalhe e esqueço o geral. Com este entusiasmo não dei conta de quando comecei a ser seguida, só me apercebi quando deixei a Sé e subi a oriente desta.

Foi então que um indivíduo careca, de meia idade e parka branca vestida, com um andar nervoso me ultrapassou e entrou por uma portada pública que dava acesso a um pequeno jardim perto do Museu Pio XII. Eu olhava em volta à procura de motivos para fotografar. Até que passo pela tal portada e aí estava o individuo a mexer nas calças e a descer a braguilha mesmo virado de frente para mim. Eu ainda pensei "Tu queres ver que o homem vai mijar aqui mesmo?". Mas não podia ser, ele despia as calças mesmo à minha frente, queria ser visto, puro exibicionismo.

Comecei-me a rir mas não dei importância, segui a minha empreitada. Entretanto dou conta que ele volta a seguir-me... Nunca tinha estado naquela zona da cidade a pé. Há pessoas na rua, não muitas. Por isso, ainda desconfiava se não era a minha cabeça que era tarada e o homenzinho não passava de um pobre coitado a passear por ali, a esticar as pernas numa bela malhã de domingo... Só que a atitude dele era suspeita, pois rondava-me e não parava de olhar para mim, embora tentasse disfarçar. Mais desconfiada me deixava a postura tensa e atenta dele, como se se preparasse para dar o bote.

A cabeça dele parecia uma bola de capão gasta e besuntada. Estão a ver o padre Frederico? Era ele, mas versão careca... Tinha mesmo ar de tarado. Parecia um filme, mas cómico, pois tudo me soava ridiculo. A parka estava unida pelas mãos no bolso... fez-me lembrar aqueles tarados de gabardine, que se passeiam pelos parques públicos e chegam-se a uma banco de velhotas sentadas e abrem-na mostrando as misérias... tal como vieram ao mundo (mas com mais pêlo...).

Eu estava a sismar e tinha que tirar as dúvidas se, neste caso, era aquele nojento o tarado, ou se afinal era eu...

Comecei a engonhar em frente ao museu Pio XII e encontro uns gatinhos vadios (eu não resisto tenho sempre que lhes fazer festas). Se o tipo me fizesse uma espera não teria dúvidas. E a verdade é que andou ali às voltas, tipo predador. Fingi que ia seguir em frente e subir mais uma rela estreita. Ele adivinhando essa atitude, segue à minha frente, sempre vigiando-me de relance.

Com poucas dúvidas fiquei. Resolvo virar para trás. Fiz mais duas festas a um outro gato e tomo o caminho de retorno. Apercebi-me que o cabrão também fez o mesmo. Foi aí que me deu uma vontade de confrontá-lo e dar-lhe com a máquina na cabeça. Mas já tinha outro plano. Impossível era evitar rir-me do ridículo da situação:
"Numa pueril e luminosa manhã de domingo, na cidade mais católica da Europa (depois de Roma, claro), onde em cada esquina está plantada uma igreja, um taradão resolveu sair à rua e masturbar-se ou lá o que fosse em frente de quem lhe desse pica... mas porquê eu? Terá sido por causa da minha máquina e da sua lente 17-70mm extensível? Será que ao manejar a objectiva o filho da puta excitou-se?"
Juro que foi esta o pensamento que me passou pela cabeça. Eu não conseguia evitar o riso. Era muito ridículo e... inofensivo. Porém nojento e incómodo.

À media que ía descendo em direcção à Sé, ele foi-se aproximando do meu passo, mas seguindo no passeio contrário. Quando me ultrapassou o passo (abrandei de propósito para ver o que panasca ía fazer), ele atravessou o passeio na minha direcção, seguindo à minha frente (e eu já com a cantiga ensaiada) - eu troco-lhe as voltas e atravesso também ficando novamente do outro lado do passeio (já me estava a divertir com a situação). Só que ele volta a atravessar e coloca-se mesmo a meu lado. Quando está a poucos centimetros de mim, mesmo a meu dado, tira uma das mãos do bolso e leva-a à breguilha. Eu, nunca o olhando de frente, só abri a boca e num tom calmo e decidido disse-lhe assim mesmo, para que ele e qualquer pessoa que seguisse na rua pudesse ouvir também:
"O Senhor não quer que eu chame a polícia, pois não?"

Ele recuou logo, mermurou qualquer coisa inaudível (duas palavras) e esgueirou-se por trás de mim por uma cangosta em direcção às traseiras da Sé...

Eu nem desviei o olhar da frente. Caguei. Só me conseguia rir com ar triunfal, pois consegui divertir-me com uma situação que me pareceu, desde o início, uma paródia.
A verdade é que, se isto se tivesse passado durante a noite, se calhar tinha passado por um tremendo cagaço...

Ali a minha intenção era mesmo encontrar um polícia e dirigir-me a ele: "Oh sr. agente, pergunte a este senhor porque é que tem andado atrás de mim sempre com as mãos na breguilha..."

Como eu vejo televisão e não faltam relatos de casos como este, sei que, para além de predadores, estes gajos são também uns grandes cobardes...

Fiquei foi a pensar se ele ía escolher outra "vítima"... Um cão destes devia era estar preso em casa. E se ele para a próxima tentar com uma cirança ou perto de uma escola?... (não é que eu tenha um ar infantil...)

Quanto a mim, continuei o meu périplo, fiz boas fotos e ainda tive que aturar um blackie a meter conversa comigo em inglês (a pensar que eu era uma turista..).

As fotos estão em killing-me.blogspot.com

16 comentários:

Jorge Rita disse...

(Tendo em conta a imagm mental que tenho de ti)
duas questões:
1ª e era ele que te seguia??
2ª e só o ameaçaste com a policia??não lhe bateste com os pés e bufaste como se faz aos gato???
ehehhehehehhe

Anónimo disse...

loooll
bem, nunca fui perseguida por nenhum homem deste tipo. mas recordo-me q qd andava na UM era frequente ver indivíduos destes na Rua Nova de Santa Cruz, mas à noite... e não se escondiam - era tudo às claras... enfim, para o que lhes dá!!
beijoca enorme
***mÁrcIA***

Isandes disse...

LOL
Mulher do Norte! Também tenho uma história ou outra, tenho... Dp conto

Ainda noutro contexto: tiveste no Bragapark no Sábado à noite, tendo estacionado cá fora? E acaso andas de Renault Clio?

flá disse...

Não, isa, por acaso não estive (se calhar não foi por acaso que eu raramente aos fins-de-semana vou a um shopping, porque fico nervosa com espaços fechados com mt povo a circular que nem baratas tontas :D).O meu carro é pequeno, é de uma marca francesa, mas não é um clio. :-)

Mas fiquei curiosa! O que te terá levado a pensar que poderia ser eu?

flá disse...

Oh Jorge, que imagens tens tu de mim, rapaz!?

Márcia, este murcon era ainda mais despudorado, já que fazia-o em plena luz do dia, em plena rua, à hora das missas... lol

Por falar em Missas, fotografei tb o bispo de braga e o anterior bispo a irem à missa na Sé. Adoro misturar o sagrado com o profano LOL

Anónimo disse...

ola Lavinha... eu imagino-te no meio dessa situaçao... tiveste mesmo piada... :P eu acho que ele queria mesmo era que tu lhe tirasses uma foto...
tb ja me aconteceu algo do genero e foi mesmo em green ville e tambem à luz do dia... ali perto da escola secundaria... enfim... tarados!!! bjinho "amica mia" Li

flá disse...

Li!!!!! Finalmente resolveste dar um ar da tua esbelta graça no meu humilde corner :D

Olha, brincas, mas hoje, a relatar o sucedido aos meus colegas de trabalho, cheguei à conclusão que, se calhar, se não tivesse o meu matacão fotográfico na mão, o gajo não teria andado atrás de mim. Devia ser um exibicionista. Só pode!!

Beijoca com gosma :P

Jorge Rita disse...

O que é que são beijos com gosma???

flá disse...

beijos saudosos, húmidos, cheios de sentimento :-)

Jorge Rita disse...

O meu conceito de gosma é de um forreta. Tenho de rever o léxico utilizado no jogo das cartas...

flá disse...

LOL, desconhecia!
Bem, se associasse "gosma" a "jogo das cartas", a mim só me ocorreria, "cartas lambuzadas", tipo "bisca lambida " :D

gosma, ranho, muncos... LOL para mim é tudo da mesma família, mas gosto de usar a primeira com um novo sentido, mais carinhoso :D

Isandes disse...

Então, tava eu a tentar estacionar e eis k miquei 1 gaja a sair (como ja sei k não eras tu, digo gaja, senão diria uma jovem). Dei o pisca, mas k a confusão k tava, na tava a conseguir fazer marcha atrás pa ir pó lugar. Eis k gaja, ao aperceber-se da dificuldade e ainda de pé fora do carro a embarcar cenas, não tem mais: vai pró meio da rua, faz stop e faz-me desandar pa me por a jeito pa xtacionar.
Despachada e fófi! (lembrei-me k encaixava no "teu" perfil! silly, eu sei...)
xuac

flá disse...

Oh cara isa, que grande elogio! Não imaginava que fazias de mim uma tão nobre cavalheira do asfalto :D . Foi um gesto realmente de grande educação e bacanismo da parte da gaja. (eu n me importo que me tratem por gaja :D).

Infelizmente não era eu, mas se fosse gostava de ter tido a mesma atitude. Acho que andamos aqui uns para os outros e isso tem q se demonstrar nos gestos mais corriqueiros.

PontoGi disse...

Que cena!Ja passei pelo mesmo(algumas vezes). Ja te estou a imaginar quando lhe falaste de chamar a policia!

Isandes disse...

Gostei das fotos em perspectiva, tipo as das ruelas, etc... Nice ;)

Bruno Marques disse...

Bem, esta é uma grande história! :D Na minha inocência acho que ele só queria que lhe tirasses uma foto em pelota! :) Só que como era tímido não quis pedir, a ver se tu entendias o que ele queria...